Notícias

O primeiro cirurgião plástico do mundo pode ter sido indiano

By 13 de novembro de 2014 Nenhum comentário

Ao longo do fim de semana, o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, causou surpresa quando sugeriu que a Índia Antiga possuía habilidade na cirurgia plástica. A afirmação do político indiano teve base em um exemplo mitológico: de que outra maneira Shiva teria implantado uma cabeça de elefante em Ganesha depois de tê-lo guilhotinado?

 Isso não foi tudo. Modi também disse, durante inauguração de um centro médico e de pesquisa em Mumbai, que a Índia Antiga também tinha conhecimentos na ciência genética. Para dar suporte a sua afirmação, ele apontou que Karna, personagem da Mahabharata (estória da mitologia indiana), nasceu fora do útero de sua mãe.

V0045682 Ayurvedic Medicine

(Foto: Reprodução Quartz/Wellcome Library, London.)

 Ao citar mitologia como evidência concreta de progresso científico, Modi pareceu se expor ao ridículo. Jornais da Índia e do exterior não perderam a oportunidade de fazer comentários sarcásticos sobre os argumentos do primeiro-ministro e, como era de se esperar, usuários de mídias sociais também entraram na brincadeira.

Modi poderia ter se poupado da vergonha se tivesse deixado de lado a mitologia e procurado documentos em sânscrito reais. Se tivesse olhado o Sushruta Samhita (texto em sânscrito clássico sobre cirurgia), por exemplo, teria encontrado a descrição de uma das primeiras cirurgias plásticas do mundo por Sushruta. Em seu texto, Sushruta escreve sobre enxertar um pedaço de pele da bocheca no nariz, por volta de 600 BCE.

Ele também coloca instruções de como reconstruir um nariz com um enxerto pediculado de pele viva retirada da bochecha, tratando com alcaçuz e sândalo. Europeus não aperfeiçoaram a rinoplastia até o século 19.

Sushruta não foi o primeiro médico indiano a detalhar seus tratamentos. Shalihotra, possivelmente o primeiro veterinário de que se tem registro no mundo, escreveu um longo texto sobre os cuidados de cavalos, alguns milhares de anos antes. Ele não só recomendou quais medicamentos dar aos cavalos quando estivessem doentes como também detalhou procedimentos cirúrgicos como operações de olhos e sangria.

L0014698 Eye operation on horse, Hindi, 18th C

(Foto: Reprodução Quartz/Wellcome Library, London.)

 Como é evidente, a Índia possui uma longa e próspera história em tratamentos médicos. Sistemas medicinais tradicionais como unani e ayurveda, que envolvem terapia holística, são populares na Índia até hoje. Enquanto são vistas com certa desconfiança por praticantes da medicina ocidental, essas práticas possuem até um ministério da saúde próprio, AYUSH, que lida com ayurveda, yoga, unani, siddha e naturopatia.

Evidências visuais da longa história médica da Índia podem ser encontradas na coleção do The Wellcome Trust, uma instituição de caridade internacional voltada para a saúde, fundada em Londres, que vem coletando imagens de práticas medicinais de todos os lugares do mundo desde a década de 1980. A biblioteca tem mais de 250.000 pinturas, impressões e desenhos, dos quais alguns documentam a transição da medicina indiana para a ocidental.

L0077161 Leprosy: patients showing symptoms. Colour lithograph, 1950s.

(Foto: Reprodução Quartz/Wellcome Library, London.)

 

Fonte: Quartz

Crédito das Fotos: Reprodução Quartz/Wellcome Library, London.