Notícias

Ricardo Amorim na Jornada Paulista

By 30 de maio de 2016 Nenhum comentário

Nos próximos anos o Brasil viverá um momento de forte crescimento econômico. Isso deverá impactar positivamente diversos setores da economia. E o mercado de cirurgia plástica poderá ser beneficiado por isso”.

Esta avaliação que pode parecer desconectada da realidade atual ou insanamente otimista foi feita por Ricardo Amorim, economista e comentarista do Manhattan Connection (Globo News).

Amorim, contudo, tem informações e dados bastante objetivos que embasam sua argumentação e nortearam toda a apresentação feita para mais de 1100 cirurgiões plásticos, no encerramento do terceiro dia da 36a Jornada Paulista de Cirurgia Plástica.

Na visão apresentada pelo economista, os números comprovam que no desenvolvimento econômico dos países nos últimos séculos, a economia vive essencialmente de ciclos. E, em média, estes ciclos duram de 3 a 5 anos, de forma bastante vigorosa, tanto nos momentos de tempestade, quanto nos de bonança. Mas podem durar até 7 anos em alguns casos. Raramente, 8 anos.

Por isso, Ricardo se mostrou otimista com o futuro da economia brasileira: “Estamos cavando um buraco há mais de seis anos. Estamos muito próximos de um momento de inflexão”. O economista também alertou para o fato de que depois de grandes períodos de queda, o crescimento tende a ser vigoroso em um primeiro momento. “Foi assim sempre que o Brasil teve períodos de crescimento negativo. E agora estamos com um dos maiores períodos e com a maior taxa de crescimento negativo da história do país. “Só são somos o país com pior crescimento nas Américas, porque Chaves e Maduro fizeram um grande trabalho para garantir este posto para a Venezuela”, ironizou Ricardo.

Segundo Ricardo, o momento atual ainda é o que as pessoas gastam somente com o que “eu preciso”. Com a economia entrando nos eixos e voltando a crescer, passarão a gastar também com o que “eu quero”.

Amorim também alerta para a incorporação constante de novas tecnologias no setor da saúde: “Até hoje, estas inovações melhoraram muito a qualidade do atendimento ao paciente, mas encareceram demais os serviços e acabaram limitando o acesso. A tendência é de que agora a tecnologia ajude a baratear esse acesso. Provavelmente a medicina será mais preventiva, nao sei.. Como isso vai impactar no negócio de vocês ainda é uma incógnita pra mim. Não tenho o conhecimento que vocês têm para saber. Quem descobrir terá grandes oportunidades”, alertou Ricardo Amorim.

“O momento ainda é de crise? Sim! Mas é neste momento que as coisas que podem mudar o mundo dos negócios acontecem. UBER foi criado em 2008 e se não houvesse uma das maiores taxas de desemprego da história da Europa, provavelmente não teria prosperado”, lembra Amorim. “Airbnb tem história e idade quase identificas. Juntas, valem 360 bilhões de reais. Nada mau para um negócio de 8 anos…”, avaliou Amorim.

As oportunidades aparecem m momentos de crises, segundo o economista: “É a hora tirar o “s” da “crise”. Crie. A crise nos obriga a olhar nossos negócios e fazer coisas que em momentos de maior conforto não faríamos. Se fizermos bem a lição de casa nestes momentos, colheremos bons frutos”, concluiu Ricardo Amorim, que ainda permaneceu por longo tempo respondendo a perguntas da plateia e autografando seu novo livro, “Depois da Tempestade”, lançado pela editora Prata.

Cirurgia Plástica's photo.
Cirurgia Plástica's photo.