Notícias

Ivo Pitanguy conduz a tocha olímpica em Botafogo, na Zona Sul do Rio

By 5 de agosto de 2016 Nenhum comentário

A tocha seguiu sua trajetória na manhã desta sexta-feira (5) pelas ruas do Rio de Janeiro, conduzidas por personalidades do esporte, da música e de outros segmentos. O cirurgião plástico Ivo Pitanguy, que também já foi um poliesportista, conduziu a tocha pela Rua São Clemente, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, e a repassou para o jornalista Idalicio Filho. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, acompanhou o jornalista e a passagem da chama no Palácio da Cidade.

A passagem da tocha no Palácio do Cidade não pode ser acompanhada pelo público em geral, mas logo em seguida a chama retornou à Rua São Clemente, nas mãos do ex-jogador de vôlei da seleção brasileira, Dante.

Cirurgião recebeu o convite para carregar a chama olímpica em junho

Depois de ter sido acesa no Cristo, com a presença do prefeito Eduardo Paes e do cardeal arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani, que leu os votos feitos pelo Papa para os Jogos, a tocha passa ainda nesta sexta-feira por outro ponto turístico, o Pão de Açúcar. A trajetória inclui toda a orla, passando por São Conrado, Leblon, Ipanema e Copacabana.

O chef Claude Troisgros, a bicampeã olímpica Fabi, o ex-nadador Cyro Delgado, a carnavalesca Rosa Magalhães, o ator e apresentador Márcio Garcia, o cantor Jorge Ben Jor, o músico e sambista Martinho da Vila, o presidente do COI, Thomas Bach, o presidente do COB e do comitê organizador dos Jogos, Carlos Arthur Nuzman,  o jornalista Nelson Motta, o cineasta Cacá Diegues e a triatleta Fernanda Keller foram alguns dos que também participaram do revezamento nesta sexta-feira.

A Tocha Olímpica simboliza o elemento fogo em homenagem a deusa Hera, divindade que era reverenciada e temida pelos gregos na Antiguidade. A tradição de ser acesa meses antes dos Jogos Olímpicos — alusão à cidade de Olímpia onde aconteciam as competições — começou na edição de 1936, em Berlim, inspirado no antigo hábito dos gregos de acender a pira após a tocha percorrer alguns pontos da cidade de Olímpia.

Acesa em 21 de abril, a chama Olímpica viajou por alguns dias na Grécia até o embarque para o Brasil, onde chegou no dia 27 do mesmo mês, exatos 100 dias antes da abertura dos Jogos. No dia 3 de maio, em Brasília, começou o revezamento da Tocha por todo o país.

Um processo seletivo elegeu a maior parte dos 12 mil condutores que tiveram a oportunidade de levar a tocha por cerca de 200 metros (em média) nas ruas de 300 cidades brasileiras. O cirurgião plástico Ivo Pitanguy foi convidado para conduzir a tocha no início de junho deste ano.

Fonte: Jornal do Brasil.