Notícias

‘Minha boca ia explodir’, diz mulher após procedimento labial

By 12 de dezembro de 2016 Nenhum comentário

Quando a busca desenfreada por um padrão de beleza a qualquer custo coloca em risco a segurança dos pacientes

Preenchimento labial

A procura por cirurgias plásticas e procedimentos estéticos só aumenta, mas a falta de regulamentação em alguns países ou a procura por um preço acessível pode gerar resultados indesejados e até mesmo colocar a saúde dos pacientes em risco. (iStokphoto/Getty Images)

Em 2013 o Brasil era o campeão no ranking dos países que mais fazem cirurgias plásticas no mundo. Apesar da queda nos últimos dois anos, os números continuam altos. Segundo uma pesquisa da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps, na sigla em inglês), em 2015, o Brasil realizou 1,22 milhão de procedimentos. Houve também um aumento por procedimentos menos invasivos e duradouros, como preenchimentos labiais. No entanto, estes também não estão livres de risco.

“Assim que terminou, entrei no carro e chorei. Senti que eu tinha me autoflagelado”, disse uma das milhares de jovens que se submetem ao preenchimento facial como uma solução milagrosa para elevar a autoestima, no Reino Unido, segundo informações da BBC Brasil.

Lá, o procedimento estético é considerado um dos mais acessíveis, uma vez que não precisa ser feito por médico ou clínica autorizada. Desde 2014, tem havido um aumento de 13% ao ano em todos os procedimentos estéticos, de acordo com relatório anual da Associação Britânica de Cirurgiões Plásticos Estéticos (Baaps, na sigla em inglês). No entanto, essa continua a ser uma das áreas menos regulamentadas da medicina no Reino Unido, o que coloca em risco a segurança dos pacientes.

Aos 24 anos, Tina, que prefere não revelar seu nome verdadeiro, pagou 75 libras (cerca de 350 reais) por um preenchimento labial, realizado no salão de beleza que frequentava.

“Foi fácil demais. Logo depois, ficou horrível. Muito inchado. Eu nunca senti tanta dor como naquela noite. Fiquei acordada de 2h até 5h da manhã no banheiro, observando meu lábio no espelho. Minha boca ia explodir. Essa era minha sensação. E senti vergonha por ter me submetido a isso apenas por vaidade”, contou a jovem.

Segundo ela, seu parceiro não se conformava. “Ele ficou bravo. Eu pensei que a gente ia terminar por causa disso. Ele dizia: ‘Você sempre falou que queria parecer natural – por que você fez isso?’”, relatou.

O caso de Tina é um entre muitos. Uma pesquisa realizada em outubro pela rede britânica BBC, mostrou que 32% das mulheres britânicas buscam cirurgia plástica. Entre as mulheres com menos de 35 anos, esse percentual sobe para 45%. O procedimento cirúrgico mais popular é o aumento dos seios.

Fonte: veja.abril.com.br