Monthly Archives

outubro 2019

SBCP informa aos seus associados que não compactua com criação de Sociedade Médica de Rinoplastia

By | Nota

Em que pese a notícia corrente da criação de associação nominada “Sociedade Brasileira de Rinoplastia”, a SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA (SBCP) não endossa, tampouco recomenda a atividade e associação a esta entidade.

A SBCP por meio de seu Capítulo de Rinologia, oferece formação, aprimoramento e atualização contínua a todos os seus membros. Entendemos que associar a uma entidade congênere, cujo corpo de associados engloba não cirurgiões plásticos, é fomentar o ensino e prática de área de atuação (reconhecida) numa clara invasão da especialidade.

A medicina brasileira vem sendo diariamente agredida e minada de seus princípios éticos e basilares. É urgente que se tenha uma postura responsável quanto a situação vigente, com ações absolutamente dentro da lei e da ética. Pacientes estão expostos, assim como os princípios básicos que regem a ciência e, sobretudo, os especialistas (reconhecidos pela AMB, CFM e Sociedades de especialidades oficiais).

Não podemos seguir fomentando tais práticas (ensino, exercício prático, marketing abusivo e outros).

 

São Paulo, 25 de outubro de 2019 

DIRETORIA EXECUTIVA
SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA

AMB em apoio a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

By | Nota

A Associação Médica Brasileira manifesta seu total apoio a nota divulgada pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRUGIA PLÁSTICA (SBCP) sobre uma séria intercorrência ocorrida depois de um dentista realizar um procedimento estético que levou uma paciente à Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital de Base de Rio Preto. http://www2.cirurgiaplastica.org.br/2019/10/21/exercicio-ilegal-da-medicina-faz-mais-uma-vitima/

Ao mesmo tempo a AMB repudia a Nota Oficial do CRO-GO sobre a manifestação da SBCP, em que critica a entidade e aos médicos em geral e trata a morte da paciente como algo normal, ao invés de buscar garantir a segurança dos pacientes odontológicos.

Alguns pacientes terminam em UTI’s após procedimentos cirúrgicos privativos dos médicos, realizados por dentistas. A defesa do Ato Médico não é uma defesa por reserva de mercado e sim uma questão técnica. O cirurgião plástico, além de realizar seis anos de medicina, dois anos em cirurgia geral e mais três anos de residência em cirurgia plástica, está completamente capacitado para a realização de procedimentos, identificação de possíveis intercorrências, para evitá-las, ou para lidar com elas quando não detectadas antes do procedimento.

AMB se solidariza com a família de Silmara Regina Rodrigues neste momento de dor e perda.

Exercício ilegal da medicina faz mais uma vítima

By | Nota

No último dia 9 desse mês, a imprensa noticiou mais uma séria intercorrência depois de um dentista realizar um procedimento estético que levou uma paciente à Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital de Base de Rio Preto.

Por SBCP

No último dia 9 desse mês, a imprensa noticiou mais uma séria intercorrência depois de um dentista realizar um procedimento estético que levou uma paciente à Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital de Base de Rio Preto. Dez dias depois, recebemos, consternados, a notícia da morte da paciente. Ao saber da notícia, imediatamente contatamos a AMB, a corregedoria do Cremesp e o Deputado Luiz Antonio, autor da Audiência Pública na Câmara dos Deputados sobre o exercício ilegal da Medicina na última semana.

Quantas sequelas e mortes teremos mais? A SBCP não descansa um único dia em divulgar os fatos e exigir ações efetivas das autoridades competentes quanto ao exercício ilegal da Medicina. O que ocorre, porém, é que a lentidão e até descaso nos faz, infelizmente, estar novamente partilhando mais uma notícia trágica de óbito de uma paciente atendida por não especialista em uma clara violação da lei federal do Ato Médico e longe de preencher os critérios mínimos da especialidade em Cirurgia Plástica.

Aos quatro cantos do país se propagam as notícias como essa, em que pacientes terminam em UTI’s após procedimentos cirúrgicos privativos dos médicos, realizados por dentistas.

As decisões judiciais são favoráveis à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica cujo Poder Judiciário Federal reconhece a extrapolação do CFO em legislar, além das fronteiras da lei que instituiu seu conselho e a violar a Lei do Ato Médico, Lei nº 12.842/13, mas o que temos testemunhado é a persistência dos não médicos em continuar desrespeitando a lei  e ampliando a cada dia casos de sequelas e mortes que poderiam ser evitadas. Neste campo, temos agido desde o ano de 2017, de forma incansável, efetuando medidas institucionais nacionais perante a Procuradoria Geral da República, Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Polícia Judiciária, ANVISA, etc, visando sensibilizar seriamente esses órgãos de que os dentistas devem atuar em sua área de competência definida por lei. Os casos crescentes envolvendo dentistas mostram o despreparo para tratamento de urgências, emergências, ministração de drogas, operacionalização de aparelhos, diagnóstico ou indicação de tratamento terapêutico.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica conclama as entidades competentes para o endurecimento na adoção conjunta de novas medidas legais face o atual cenário. Não podemos permitir que casos como estes continuem acontecendo de forma cada vez mais frequente. É importante que a Segurança do Paciente seja respeitada com ações efetivas nos campos institucional e jurídico, e campanhas conjuntas sejam elaboradas para a conscientização da população sobre os riscos de procedimentos médicos serem feitos por profissionais não especializados.

A SBCP continua incansavelmente na luta em defesa do Ato Médico, da Segurança do Paciente e da nossa Especialidade. O desafio é árduo, mas mantemos o nosso compromisso e as ações diuturnas em todos os campos legais para evitar que novas tragédias como estas continuem acontecendo.

São Paulo, 21 de outubro de 2019

DIRETORIA EXECUTIVA
SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA

Ação Humanitária Manaus

By | Ação Humanitária

Antecedendo a primeira Jornada Norte Nordeste realizada em Manaus, cirurgiões do Amazonas e convidados de outros estados realizaram a I ação humanitária na capital manauara beneficiando 10 pacientes carentes.

Por SBCP

Cirurgiões plásticos do Pará, Minas Gerais e São Paulo estão em Manaus, desde ontem, para o 1º Mutirão de Cirurgia Plástica Reparadora e Reconstrutiva destinado à pacientes carentes que estão à espera dessas cirurgias pelo SUS em Manaus. A ação, que está sendo realizada pela primeira vez no Amazonas, é promovida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) com apoio da diretoria de Ação Social e a Fundação Instituto Para o Desenvolvimento do Ensino e Ação Humanitária (Ideah), que contempla dez pacientes com cirurgias reparadoras de reconstrução mamária e pós-bariátrica, com atendimentos realizados na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon) e no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV).

Confira abaixo as foto do mutirão:

Ação humanitária em BH e cidades do Interior mineiro.

By | Ação Humanitária

SBCP-MG, Departamento de Ação Social e Fundação IDEAH

Por SBCP

A Regional Minas Gerais com apoio do Departamento de Ação Social e Fundação IDEAH realizou a X Ação Humanitária em Belo Horizonte e nas cidades de Itajubá, Montes Claros, Passos, Pouso Alegre e Juiz de Fora. Nas cidades do interior 30 pacientes foram beneficiadas.

Na capital mineira a comitiva da SBCP, formada pelo diretor DAS, Victor Adissi, o presidente da Fundação IDEAH, Pedro Martins, o presidente da Regional mineira Alexandre Meira e a dra. Ian Duarte, visitou os hospitais participantes: Fundação Hospitalar São Francisco, Hospital da Baleia, Hospital São José, Hospital Felicio Rocho e hospital Júlia Kubischeck. Também participaram a Santa Casa de Belo Horizonte e o Hospital das Clínicas da UFMG, onde foram operados 100 pacientes.

Confira abaixo as matérias veiculadas na imprensa sobre o mutirão: