Archive: maio, 2014

Casais tendem a brigar mais quando estão com fome*

Pessoas famintas são mais propensas a perder a paciência com o parceiro, de acordo com novo estudo. Isso acontece porque o jejum faz com que o cérebro, que consome 20% das nossas calorias diárias, não tenha forças para exercer o autocontrole. As informações são do Daily Mail.

 

“É um conselho simples, mas funciona: antes de ter uma conversa difícil com seu cônjuge, certifique-se que não está com fome”, segundo os pesquisadores. Mais de 100 casais preencheram questionários sobre os relacionamentos, fazendo medições dos níveis de açúcar no sangue, pela manhã e noite. Para mensurar a quantidade de raiva que estavam sentindo um pelo outro, os pesquisadores entregaram bonecos de vodu e pediram que os apunhalasse com até 51 pinos.

 

231-BX

 

Quanto mais baixa a taxa de açúcar no sangue dos voluntários, mais eles descontaram suas frustrações nos bonecos. O pesquisador Brad Bushman, da Ohio State University, disse que “quando eles estavam com pouca glicose no sangue, sentiram mais raiva e tiveram mais dificuldade de autocontrole”.

 

Um segundo teste de agressão veio ao final do estudo de três semanas, quando homens e mulheres foram convidados para participar de um jogo de computador. Eles foram induzidos a pensar que estavam jogando contra o parceiro e cada vez que ganhavam podiam enviar um barulho irritante, como som de unhas raspando um quadro negro, brocas odontológicas, sirenes de ambulâncias e outros. Mais uma vez os sons foram enviados mais altos conforme a baixa quantidade de açúcar.

 

*Fonte: Terra. Leia a matéria no site aqui.

Rir é o melhor remédio para a memória, indica estudo*

De e-mails para si próprio a anotações nas mãos, as pessoas tentam de tudo para não esquecer algo importante. Mas um estudo mostrou que uma boa gargalhada pode ser a melhor forma de melhorar a sua memória. Com informações do site do jornal britânico Daily Mail.

 

Pesquisadores americanos afirmam que as pessoas mais velhas estão mais propensas a se lembrar de alguma coisa quando estão rindo.

 

Isso porque o ato de gargalhar reduz os níveis de estresse, que, por sua vez, pode afetar de forma negativa a memória.

 

229

 

Cientistas da Loma Linda University, na Califórnia, pediram que 20 adultos saudáveis assistissem a um vídeo divertido, durante 20 minutos. Ao mesmo tempo, um outro grupo se manteve sentado calmamente, sem assistir nenhum filme.

 

Depois disso, todos os participantes fizeram um teste de memória e também tiveram amostras da saliva colhidas para que os especialistas pudessem medir os níveis de cortisol, o hormônio do estresse.

 

Os resultados mostraram que as pessoas que assistiram ao vídeo engraçado tiveram uma melhor performance no teste de memória de curto prazo, além de apresentarem índice mais baixo de cortisol.

 

O estudo reforça que as pessoas menos estressadas tendem a ter uma memória melhor. Isso porque rir aumenta o nível de endorfina no corpo, e envia dopamina ao cérebro, melhorando as sensações de felicidade e recompensa. Isso altera a atividade das ondas cerebrais, resultando em melhora da memória.

 

*Fonte: Terra

 

Crédito da foto: Seth Lemmons via Compfight cc

Casamentos, mãos e selfies: nova tendência de Cirurgia Plástica

Mais uma vez, voltamos ao assunto selfies e cirurgia plástica. Já falamos sobre como as mídias sociais impulsionam o número de procedimentos realizados e como impactam adolescentes e jovens. Agora surgiu uma nova tendência: procedimentos na mão para tirar selfies de anéis de noivado.

 

É isso mesmo: de acordo com o New York Times, o número de mulheres que procuram cirurgiões para fazer preenchimentos nas mãos e tirar o famigerado “selfie perfeito” aumentou. Afinal, o momento sonhado e tão aguardado precisa de uma foto a altura, sem marcas de sol, veias salientes ou aparência óssea das mãos.

 

190-bx

 

“Absolutamente. O surgimento das mídias é uma razão pela qual as pessoas estão fazendo toneladas de procedimentos, não apenas nas mãos”, explicou um dos cirurgiões entrevistados pelo jornal. “Uma vez que você vê como sua mão fica em uma tela de computador ou smartphone você passa a reparar em coisas que antes não eram um problema”, completou outro cirurgião.

 

Como sempre, o assunto levanta polêmica. O diretor de beleza da Brides Magazine, influente revista britânica especializada em casamentos, afirma que investir neste procedimento não é a melhor opção. Já as noivas, discordam: “Eu quero minhas mãos perfeitas para as fotos”, afirmou uma entrevistada.

 

E você, o que acha? Deixe seu comentário! Se quiser mais sobre procedimentos para mão, clique aqui e visite o site da SBCP.

 

Com informações do New York Times. Leia a matéria original aqui (em inglês).

 

Crédito da foto: space_monkey via Compfight cc

6 dicas para fazer cirurgia plástica depois de reduzir muito peso

Depois de uma longa luta contra o excesso de peso você consegue, finalmente, chegar ao seu objetivo. Seja por meio de dieta combinada a exercícios físicos ou cirurgia bariátrica, não importa. O caminho foi árduo, mas os resultados foram atingidos.

 

No entanto a conquista agora coloca um novo desafio: o excesso de pele que restou após a redução drástica de peso. Por isso separamos algumas dicas importantes para quem está considerando realizar uma cirurgia plástica de contorno corporal após grande perda de peso saber se é um bom candidato ao procedimento:

 

I

 

1) Peso estável: é preciso que não ocorra mais variação de peso por pelo menos seis meses antes da cirurgia. O ideal é que o paciente espere por dois anos, aproximadamente, antes de fazer o procedimento. Isso dará tempo para a pele diminuir o máximo possível e a nutrição ser estabilizada e otimizada, fatores que ajudarão na recuperação.

 

2) Boa saúde: o paciente não deve ter nenhum problema médico crônico, como diabetes ou doenças no coração. Pessoas nessas condições não são bons candidatos ao procedimento. É preciso ter a aprovação do médico que acompanha a sua saúde.

 

3) Dieta saudável: se alimentar corretamente é importante. Isso evita que o paciente tenha deficiências nutricionais que possam prejudicar o pós-operatório. O ideal é checar com seu médico sua condição.

 

4) Não fume: o tabagismo prejudica o processo de recuperação e aumenta o risco de intercorrências durante e após a cirurgia. Se o paciente for fumante, deve parar pelo menos seis semanas antes do procedimento ser realizado.

 

5) Mente forte: a cirurgia de contorno corporal exige paciência e perseverança. É importante que o paciente esteja preparado para enfrentar todas as etapas da operação.

 

6) Expectativas reais: a cirurgia trará benefícios para seu contorno corporal, mas nunca poderá dar ao paciente um corpo igual a um que não tivesse ganhado tanto peso e nem um equivalente ao de juventude. É preciso entender que o procedimento também não evita o envelhecimento natural do corpo e a conseqüente perda de firmeza da pele.

 

Com informações do Smart Beauty Guide. Leia aqui o material completo (em inglês).

Cirurgia Plástica devolve rosto a criança de dois anos

A notícia é de 2012, mas mostra que a Cirurgia Plástica pode dar a algumas pessoas a chance de viver normalmente após uma grave acidente. Este foi o caso de um garoto de dois anos, atacado por um cachorro enquanto brincava na rua, sob os olhares dos avós. Partes das bochechas, nariz e lábios haviam sido arrancados pelo animal. O rosto da criança estava desfigurado.

 

O caso foi encaminhado para o Hospital das Clínicas em São Paulo. Era uma situação sem precedentes na história da instituição. De acordo com os responsáveis pela cirurgia, a idade da criança dificultava um procedimento reconstrutivo porque os vasos, veias e artérias eram muito finos. Foram seis horas de cirurgia para reconstruir o rosto do garoto e depois mais quatro para corrigir a circulação de sangue no local.

 

Reprodução/IG Saúde/Arquivo Pessoal

Reprodução/IG Saúde/Arquivo Pessoal

 

Até a alta foram 10 dias de recuperação. O garoto não teve nenhuma seqüela e, graças a cirurgia plástica, terá a chance de levar uma vida normal, falando, comendo e utilizando plenamente as funções da boca.

 

Leia a história completa e veja um infográfico das etapas da cirurgia aqui. Com informações do IG Saúde.

5 fatos para cuidar bem da pele*

A pele é alvo de cuidados minuciosos dos mais vaidosos, no entanto, ainda há muitos segredos sobre o que realmente faz bem ou mal para ela. Por isso, o site Huffington Post desvendou cinco deles. Confira:

 

1. Você não precisa lavar o rosto com água quente para limpar a pele: na verdade, água quente pode causar vermelhidão e irritação em pessoas com pele sensível e ressecar as peles comuns, deixando-as mais suscetíveis a acne e outros problemas. O ideal é lavar o rosto e o corpo com água morna.

 

2. O óleo é bom para a pele: o óleo vegetal pode parecer uma forma obsoleta de hidratar a pele, mas a verdade é que o produto funciona. Você pode lavar seu rosto com óleo de coco ou de oliva ou aplicá-lo logo após o banho. Após usar o produto algumas vezes, você irá perceber que sua pele – seja ela oleosa ou seca – estará menos oleosa ou mais hidratada.

 

210-BX

 

3.Você não precisa esfregar para esfoliar: esfregar a pele durante a esfoliação com produtos próprios para o tratamento costuma ser exagero para a maioria dos tipos de pele. Em vez de usar esfoliantes fabricados, faça a versão natural, com frutas como manga, morangos ou abacaxi. Talvez este método não seja o melhor para peles muito sensíveis, mas funciona para os outros tipos.

 

4. O que mais influencia na saúde da pele não é o que você aplica nela e, sim, o que você come: uma dieta saudável, rica em frutas, vegetais e água, e uma rotina de exercícios resultarão em uma pele mais brilhante do que produtos caros podem proporcionar.

 

123-BX

 

5. Chocolate não causa acne, mas pão e macarrão talvez: não existem ainda estudos conclusivos sobre a relação entre chocolate e acne, mas há alguns que associam alimentos com alto índice glicêmico, como macarrão e pão, a crises de acne.

 

*Fonte: Terra (leia a matéria original, aqui).

 

Crédito das fotos:
96dpi via Compfight cc
faith goble via Compfight cc cc

6 mitos sobre mamoplastia de aumento

A cirurgia plástica para colocar próteses de silicone nas mamas é uma das mais procuradas pelas mulheres. Por causa disso há um enorme volume de informações sobre este procedimento, mas também muita coisa incorreta. A jornalista americana Grace Gold desejava fazer uma mamoplastia de aumento e resolveu tornar sua experiência – que envolveu muita pesquisa – em um livro. Depois de superar o medo, a escritora realizou a cirurgia e separou seis grandes mitos sobre o assunto. Descubra abaixo quais são eles.

 

1) Todos os implantes parecem falsos
“Meu maior medo era ficar claro que eu tinha mamas falsas. Se você encontrar um cirurgião bom e certificado, escolher um tamanho pareça ser natural e o melhor lugar para o implante (eu escolhi debaixo do músculo), as pessoas não irão perceber. Nem mesmo amigos próximos e minha família perceberam que eu havia feito a mamoplastia de aumento.”

 

208

 

2) A recuperação é dolorosa
“O tempo de recuperação e a dor variam de pessoa para pessoa. Algumas não sentem ou experimentam pouca dor (principalmente mulheres que tiveram peitos largos por conta da maternidade ou que ganharam e perderam peso) enquanto outras tem dores nos primeiros dias, mas elas podem ser controladas com analgésicos. Eu estava no segundo grupo e eu achei que a retirada do meu dente do siso foi muito pior. O que eu achei mais difícil foi não poder levantar coisas ou malhar durante quatro semanas, mas o tempo passou rápido e os resultados certamente valeram a pena”.

 

3) Implantes são para quem deseja mamas grandes
“Os implantes têm vários tamanhos e a maioria das mulheres que realizam uma mamoplastia nos EUA optam por aumentos sutis – de sutiãs tamanho A para B ou C. Geralmente elas desejam apenas “preencher” suas roupas ou se sentir mais confiantes. Com o tamanho correto e um cirurgião certificado os resultados podem ser “apropriados””.

 

4) Mamoplastia de aumento dura toda a vida
“Quando eu decidi fazer realizar a cirurgia para aumentar as mamas eu achava que esse procedimento iria durar para toda a vida. Mas, na verdade, o implante de próteses (salina ou de silicone) não são feitos para durar todo este tempo. Os fabricantes recomendam trocar as próteses a cada 10 anos para evitar uma ruptura.”

 

106-BX

 

5) Você ficará incrível na hora
Durante a cirurgia seus músculos se contraem. Como resultado, as próteses se acomodam e ficam sobressaltadas no seu peito e dão a aparência de estarem inchados. A recuperação das primeiras semanas ou meses (depende do paciente), as mamas irão começar a se acomodar em uma posição mais natural. Isso significa que você deve dar um tempo para si mesma para se sentir incrível.”

 

6) Terei o corpo perfeito
“A mamoplastia de aumento te dará uma versão maior do que você já tem, a não ser que também seja feito um procedimento corretivo. E mesmo que bustos maiores possam fazer sua cintura e quadris parecerem menor e mais torneados, isso não lhe dará um corpo novo. Algumas mulheres esperam ficar parecidas de repente com modelos da Victoria Secret’s após a cirurgia e se sentem desapontadas. Ter expectativas reais significa que você ficará mais feliz com seus resultados.”

 

Com informações do RealSelf. leia o post origial aqui (em inglês)

 

Crédito das fotos:

Nikita Kashner via Compfight cc

fxp via Compfight cc

4 dicas para relaxar a mente e dormir melhor*

As exigências sociais ficam maiores a cada ano e é comum as pessoas estarem ligadas 24 horas por dia, sete dias por semana. O resultado disso é o aumento das taxas de insônia, com muita gente tendo dificuldade de desligar o cérebro à noite. O excesso de atividade mental é um problema para muita gente, mas existem algumas técnicas que podem ser úteis na hora de acalmar os ânimos. O site do jornal Huffington Post relacinou 4 delas. Confira:

 

1. Relaxe a mente antes de se deitar
Estamos tão ocupados ultimamente que não há horas suficientes no dia para se fazer tudo. O resultado disso é que muita gente se mantém ativa – com serviços domésticos, relacionados ao trabalho ou às contas – até a hora de ir para a cama. Mas, como não existe um botão “liga-desliga” na hora de dormir, é necessário acalmar a mente e preparar o terreno para o sono. Permita-se pelo menos uma hora de relaxamento antes de ir para a cama. Isso deve ser feito fora do quarto. Escureça as luzes e evite usar qualquer objeto com tela (tablets, celulares, computadores e TV). Ler, fazer um alongamento leve ou meditar são ótimas alternativas.

 

SONY DSC

 

2. Não se preocupe na cama
Deitar-se com a mente ativa só serve para ensinar o corpo que a cama é um lugar para continuar acordado e pensativo. Saia da cama se ainda estiver muito agitado. Não espere mais do que 20 minutos para fazer isso e evite ficar olhando para o relógio. Ao perceber que não vai conseguir dormir, levante-se, vá para um outro ambiente com luz fraca, sente-se e faça algo calmo e relaxante. O simples ato de se levantar e sair da cama – independentemente da hora – pode ser realmente útil para diminuir a velocidade do pensamento.

 

3. Concentre-se em imagens mentais
Acredite se quiser, mas contar carneirinhos pode mesmo ser uma alternativa eficaz. Quando estamos na cama com a mente hiperativa, é difícil se concentrar. Além disso, quanto mais você tenta não pensar em muitas coisas, mais pensa. Tente pensar em algo que exija um pouco mais de esforço para se concentrar. Por exemplo, pense no mapa do Brasil ou conte de trás para frente a partir do número 100. Escolha uma palavra e repita na mente, para verificar como as letras e os sons se transformam. Este tipo de repetição pode ser útil para que você consiga manter a vibração mental.

 

204-BX

 

4. Separe a preocupação produtiva da improdutiva
A preocupação nos motiva a fazer certas coisas. A preocupação produtiva é adaptável – quando nos sentimos ansiosos sobre alguma coisa, pensamos nos passos para resolver isso. Já a preocupação improdutiva tem a ver com o estresse sobre as mesmas coisas que preocuparam ao longo do dia mais não levam à nenhuma solução. Listas de tarefas são muito úteis para tirar estas coisas da mente. Em um pedaço de papel, desenhe duas colunas: uma para tarefas, outra para preocupações. Anote também as soluções por ordem de prioridade. Por exemplo, se uma das suas preocupações é achar um emprego, a próxima solução será “buscar anúncios online”, ou “mandar meu currículo para cinco pessoas”. Quebrar o objetivo em tarefas menores pode ser algo útil. Mantenha o papel ao lado da cama e, se voltar a ter atividade mental muito acelerada, lembre-se que você já anotou tudo o que precisa e que nada mais pode ser feito durante a noite.

 

*Fonte: Terra (leia a matéria no site aqui)

 

Crédito das fotos:
Wiros via Compfight cc
h.koppdelaney via Compfight cc

3 coisas que nem a Cirurgia Plástica muda

O site RealSelf preparou uma lista que os cirurgiões não conseguem mudar ou remodelar, mesmo com todos os avanços da medicina e da cirurgia plástica. Veja quais são:

 

1) Largura dos ombros: de acordo com cirurgiões consultados pelo site, isso é impossível por conta da estrutura óssea e muscular do corpo. A melhor indicação, neste caso, é estudar em implantes de próteses em outros lugares para deixar o contorno mais proporcional.

 

Pessoas que fraturaram a clavícula podem optar por uma cirurgia que acaba reduzindo a largura dos ombros, mas pode deixar a pessoa com movimentos limitados e uma aparência arredondada nos ombros.

 

187

 

2) Distância entre os olhos: se você deseja alterar isso, está com pouca sorte. Tecnicamente é possível realizar o procedimento, mas nenhum médico o faria por uma razão estética. Em geral essa complicada cirurgia é usada apenas em casos raros de lesões faciais graves, defeitos de nascença ou remoção de tumores.

 

“Isso não é uma cirurgia estética, mas um procedimento complexo usado para dar a alguém uma aparência mais humana”, explicou o médico consultado pelo site.

 

3) Aumento do pênis: esqueça os anúncios na internet. Segundo o cirurgião ouvido pelo RealSefl, esta não é uma boa opção. Até é possível aumentar um pouco o pênis por meio de uma incisão na base e cortar um ligamento que suspende o órgão. No entanto, o homem que optar por esse procedimento não terá exatamente uma ereção: o pênis irá se alongar, mas apontado para o chão.

 

Apesar de tentativas de aumentar o órgão, o cirurgião entrevistado adverte: “desde os primeiros anos do silicone o homem tenta usar preenchimentos injetáveis em suas genitais, geralmente com resultados desastrosos. Teoricamente é possível usá-los para aumentar o pênis. Mas não é recomendável, você estará procurando problemas. Na verdade, você estará abrindo sua porta da frente e pedindo para o problema entrar em sua casa e ficar por um tempo”, disse o especialista.

 

E então? Qual destes te surpreendeu mais?

 

Com informações do RealSelf. Leia o texto original aqui (em inglês).

Cirurgia plástica combate reação adversa de tratamento para soropositivos

Procedimentos resgatam harmonia corporal em pacientes com perda de gordura no rosto e nos glúteos

 

Lipodistrofia. Essa é uma das reações adversas mais indesejadas entre pacientes em tratamento com antirretrovirais, medicamentos amplamente utilizados para refrear o vírus HIV no organismo. A lipodistrofia, nestes casos, reduz a gordura em algumas regiões do corpo, como rosto, glúteos e pernas. A redução é acentuada, gerando aquele aspecto de magreza exagerada, marcante entre soropositivos.

 

Nos glúteos, a perda de gordura pode ser tão grande que vai além do aspecto estético: o paciente sente desconforto ao permanecer muito tempo sentado, o que pode comprometer seu desempenho em inúmeras funções profissionais. Além da perda de gordura, o tratamento para soropositivos pode proporcionar acúmulo desta em outras áreas do corpo, como mamas, parede abdominal e nas costas, próximo ao pescoço.

 

Em todas as situações, existem procedimentos realizados por cirurgiões plásticos capazes de resgatar a harmonia corporal, suavizando os efeitos indesejáveis dos antirretrovirais. Isso costuma ter impacto positivo na autoestima do paciente, o que ajuda a fortalecer seu sistema imunológico e, portanto, todo o tratamento contra a doença.

A

 

No rosto, o paciente pode receber implantes de tecido gorduroso ou de polimetilmetacrilato. Nos glúteos, a reconstrução pode ser realizada com implante de próteses de silicone ou com enxertos de gordura. E na região das mamas e do abdome, o cirurgião pode retirar os excessos numa lipoaspiração.

 

Todos os procedimentos são amplamente utilizados por cirurgiões plásticos, com resultados satisfatórios e risco de complicações baixo. Contudo, o desafio de aplicar essas técnicas em soropositivos é mais recente, pois a eficácia dos tratamentos contra HIV aumentou nos últimos anos e proporcionou maior sobrevida aos pacientes. Com isso, as reações adversas estão se tornando mais duradouras e expressivas.

 

As pesquisas com esse perfil de paciente ainda são recentes, mas já trouxeram esclarecimentos interessantes. Os enxertos de gordura, por exemplo, apresentam benefícios à qualidade da pele que, em alguns casos, superam os resultados alcançados com próteses de silicone.

 

Antes de seguirem para a mesa de cirurgia, é preciso ter ainda mais precauções com pacientes soropositivos. Isso porque a doença está diretamente ligada ao sistema imunológico: o vírus HIV enfraquece as defesas naturais do organismo. O risco de infecções, bem como todo o processo de recuperação pós-cirúrgico do soropositivo requerem mais cuidados.

 

Ao procurar aconselhamento para as situações acima, certifique-se de que o médico possui especialização em cirurgia plástica. Existem profissionais experientes no atendimento e nos cuidados a paciente soropositivos. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) pode auxiliá-lo nessa pesquisa.

Back to Top