Archive: outubro, 2014

Grande perda de peso pode levar jovens a recorrerem a cirurgia plástica

Cirurgias plásticas de contorno corporal podem consistir de um ou mais procedimentos realizados para alterar a forma do corpo de uma pessoa. Podem ser feitas nos braços, mamas, abdômen, glúteos e em outras partes do corpo. O resultado esperado pelos cirurgiões é atingir a expectativa dos pacientes de ter uma silhueta desejada, sem sobras de pele.

 

227-BX

 

Uma pesquisa publicada no Journal of Plastic and Reconstructive Surgery indica que o número de adolescentes solicitando cirurgias plásticas de contorno corporal após grande perda de peso está aumentando. Apesar de tratar sobre pessoas que fizeram cirurgia bariátrica, a pesquisa oferece indícios de que jovens que emagrecem muito estão recorrendo a este procedimento – no Brasil apenas maiores de 16 anos, após preencher pré-requisitos, pode se submeter a cirurgias bariátricas.

 

Os participantes do estudo apontaram que os braços e as coxas são as áreas mais problemáticas. Além de se sentirem desconfortáveis com sua aparência, o excesso de pele também provoca desconforto físico, de acordo com os pesquisadores, especialmente em áreas como o peito, as mamas, o abdômen e o queixo.

 

Anteriormente acreditava-se que jovens não eram afetados pelo excesso de pele da mesma maneira que os adultos após grande perda de peso. Esta pesquisa começa a indicar que a verdade pode ser diferente.

 

Com informações do Smart Beauty Guide

12 perguntas para se fazer antes de decidir por uma Cirurgia Plástica

Será que você é um bom candidato a uma cirurgia plástica? Esta é uma das perguntas que surgem quando uma pessoa decide analisar a realização de um procedimento, seja por motivos estéticos ou por questões funcionais.

 

O Smart Beauty Guide separou 12 perguntas que TODO paciente deve se fazer para saberem se estão preparados para uma cirurgia plástica. Confira:

 

236

 

1)      Minha saúde mental e física está boa, estou comendo bem e não estou fumando?

2)      Estou preparado para tomar atitudes e mudar meu estilo de vida, como parar de fumar, para realizar a cirurgia plástica?

3)      Será que minhas expectativas acerca do resultado são realistas?

4)      A motivação para realizar o procedimento parte de mim ou parte das opiniões dos outros?

5)      Já dediquei tempo suficiente para me informar do procedimento e checar a certificação e qualificação de possíveis cirurgiões plásticos?

6)      Eu informei ao cirurgião plástico minha condição clínica, alergias a medicamentos e tratamentos que fiz ou estou fazendo?

7)      O cirurgião plástico está ciente dos medicamentos, vitaminas, suplementos naturais que uso? Ele sabe do meu consumo de álcool ou drogas?

8)      Estou comprometido o suficiente para fazer a minha parte e ajudar a garantir a segurança e o sucesso do procedimento?

9)      Estou bem informado dos efeitos pós-operatórios e do período de recuperação?

10)   Tenho uma pessoa que pode me auxiliar nas 24 horas imediatas após a cirurgia plástica?

11)   Todas as minhas dúvidas foram bem respondidas pelo cirurgião plástico?

12)   Já li, entendi e assinei o termo de consentimento informado para a minha cirurgia plástica?

 

Lembre-se: planeje bem suas decisões e coloque sua segurança sempre em primeiro lugar!

 

Fonte: Smart Beauty Guide

Crédito da foto: Colin Kinner (via Flickr) cc

Por trás do corpo de um super-herói

Entre o uniforme ultra-esculpido do uniforme atual do Batman e a franquia própria do Deus Thor, a pressão entre os principais atores de Hollywood está crescendo para que eles sejam capazes de realmente parecer aos personagens que encarnam nos filmes.

 

Enquanto as estrelas de filme de ação falam sobre seus regimes de treino e dietas exarcebantes, pode haver um outro tipo de profissional que ajuda a esculpir corpos que nunca levarão os devidos créditos, afirma o cirurgião plástico de Beverly Hills Brent Moelleken.

 

O profissional americano participou do documentário “Superhero bodies”, feito pela comunidade online voltada a cirurgia plástica Realself. O filme fala sobre como a demanda que os personagens de super heróis geram uma pressão para que os atores atinjam seus limites físicos – e como isso está afetando os homens americanos.

609

O número de procedimentos cosméticos realizados por homens aumentou 273% nos últimos 16 anos, de acordo com a Sociedade America de Cirurgia Plástica Cosmética (ASAPS, em inglês). A lipoaspiração e a lipoescultura foram as cirurgias plásticas mais comuns em 2013.

 

“A tendência de ser muito atlético está mais forte do que nunca”, afirma Moelleken. “Era possível ter uma boa aparência mesmo com uma barriguinha e pneuzinhos. Agora isso não é mais viável: para conseguir ir bem em Hollywood é preciso estar em forma. Isso realmente reflete o que está acontecendo na sociedade”, completou o cirurgião plástico americano.

 

A edição americana do jornal Metro conversou com Moelleken para saber onde a fantasia acaba e a realidade começa. Veja abaixo:

 

O quanto é real o que vemos nas telas?
“Celebridades são uma fantasia. E esta fantasia não é apenas feita de uma pessoa, é uma empresa. Essas celebridades são empresas com verdadeiras comitivas em volta delas, que dependem da manutenção de uma imagem. Em geral, elas não admitem isso. Acho que é para manter uma mística ao redor delas”.

 

Quando a cirurgia plástica faz parte dos filmes?
“Quando os atores entram nos seus 30 anos, nos 40 e, principalmente nos 50, elas têm que passar por procedimentos para continuar com a aparência jovial, vibrante e natural. É inevitável. Para estar no nível A, o nível dos super-heróis, é preciso estar em sua melhor forma. Mas, depois que o ator chega aos 35, sua melhor forma pode não ser o suficiente. É aí que a cirurgia plástica entra em cena”.

 

Ser realista nas expectativas.
“Algumas vezes as pessoas vêm com uma percepção e você tem que dizer “Não é bem assim que funciona”. O cirurgião plástico pode melhorar as suas características, mas não pode transformá-lo em Hugh Jackman se você não for naturalmente parecido com ele.”

 

Para algumas estrelas, esteróides e hormônios de crescimento podem entrar no jogo.
“Eles estão dispostos a fazer tudo para alcançar o sucesso e esta é uma lição para quem deseja ter o corpo de um super-herói: pode haver um preço para isso, como a degradação da saúde, problemas no rim e na bacia. Uso de esteróides é grave para as pessoas.”

 

O que leva homens comuns a fazerem cirurgia plástica?
Enquanto no consultório de Moelleken os homens que buscam cirurgia plástica tendem a ser a metade mais velha de um casal que deseja um visual rejuvenescido, também é comum que a motivação esteja no trabalho. “Quase todo trabalho tem um componente de venda. Você precisa vender algo: se você é um presidente de empresa, um político, um criativo ou um produtor de filmes, você vende a sua imagem. Você entre em uma sala e as pessoas estão te analisando. Geralmente estas pessoas estão na faixa dos 30 anos, foram estagiários e galgaram espaço dentro da empresa até uma posição de liderança. E se você entre em uma sala parecendo velho e irrelevante, não conseguirá o trabalho ou a venda”.

 

Fonte: Jornal Metrô

Avaliação de Cirurgia Plástica não é como a de um serviço qualquer

Um dos momentos mais importantes durante o planejamento de uma cirurgia plástica é a pesquisa do cirurgião plástico. Checar se o profissional é membro da SBCP e se ele atua em uma instalação credenciada e preparada para garantir a segurança do paciente são passos básicos para encontrar um bom cirurgião plástico.

 

606

 

Outro aspecto importante é buscar referências. Uma das formas mais fáceis é ler avaliações em sites especializados, como o Yelp e o AvalDoc. No entanto, Anthony Youn, cirurgião plástico americano, faz uma ponderação: apesar de ser uma fonte de informação, é preciso saber que este tipo de avaliação não é o ideal.

 

Se este tipo de site é bom para classificar serviços como hotéis, restaurantes, limpeza e tantos outros, para a cirurgia plástica o método não é o melhor.

 

“Um hotel pode ter boa localização e instalação – ou não. Um restaurante pode ter boa comida, bom ambiente e garçons atenciosos – ou não. O serviço de limpeza, uma loja de molduras, uma revendedora de carros podem ser bons – ou não. Tudo muito comum e, geralmente, preto-no-branco. Mas nada no corpo humano, como sua condição, idades e particularidades, é preto-no-branco”, afirma o cirurgião em texto publicado no Smart Beauty Guide.

 

Além dos critérios avaliados não serem completos – muitos não mostram, por exemplo, a filiação do médico à SBCP e suas especialidades –, estas páginas não garantem a veracidade das informações. É impossível garantir que as resenhas são escritas, efetivamente, por pacientes do cirurgião plástico sendo avaliado.

 

Como exemplo Anthony cita um caso que aconteceu com ele.

 

Certa vez uma pessoa publicou uma avaliação do cirurgião americano em um site. O autor do texto classificou Anthony como um mau profissional e defendeu que ele deveria ter sua licença suspensa.

 

Após checar o que havia ocorrido, o cirurgião descobriu que a pessoa nunca havia sido sua paciente e que eles sequer se conheciam. A avaliação negativa feita no site foi motivada por um texto publicado por Anthony na CNN em que ele tratava das relações entre o uso de maconha e a ginecomastia.

 

“Moral da história? Sites de avaliações de médicos podem oferecer informações valiosas a respeito de um profissional, mas eles não são infalíveis. Não os tenha como único critério para escolher o cirurgião plástico”, afirma Anthony Youn.

 

Com informações do Smart Beauty Guide.

Cirurgia Plástica tem limites e exige bom preparo do paciente e do cirurgião

Se a cirurgia plástica pode dar a pessoas saúde e melhorar sua autoconfiança, ela pode não resolver problemas psicológicos ou emocionais. Ter uma aparência renovada é uma forma de devolver confiança a algumas pessoas, mas se houver motivações psicológicas subjacentes o efeito da cirurgia plástica vai apenas amenizar estas questões. O mesmo acontece com quem tem expectativas irreais a respeito dos resultados. Isso pode gerar frustração e arrependimento.

 

Nem todo paciente é um bom candidato a uma cirurgia plástica. Cirurgiões plásticos éticos irão desencorajar possíveis pacientes se perceberem que seu estado físico ou mental não são os ideais para a realização do procedimento. O candidato ideal a uma cirurgia plástica é aquele que tem uma boa saúde geral, deseja resultados naturais e quer fazer o procedimento por vontade própria e não para satisfazer alguém.

 

596

 

Cirurgiões de confiança

Cirurgiões plásticos certificados pela SBCP trabalham para educar seus pacientes a respeito do que é possível e do que não é possível com a cirurgia e dos benefícios e riscos que envolvem qualquer procedimento. Uma cirurgia plástica não pode rejuvenescer alguém em 15 anos, mas pode diminuir os sinais de envelhecimento. Ela pode modificar a aparência de alguma característica do paciente, como um nariz grande, mamas pequenas ou excesso de pele, mas não pode mudar completamente uma pessoa.

 

Por isso, candidatos a cirurgia plástica devem ficar em alerta ao encontrarem profissionais que prometem resultados garantidos ou que soem exagerados, especialmente quando o procedimento for mínimo.

 

Também é importante que o paciente tenha clareza que procedimentos não cirúrgicos não produzem os mesmos resultados que os cirúrgicos. O Coolsculpting pode reduzir pequenas bolsas de gordura, mas não terá o mesmo desempenho de uma lipoaspiração.

 

Fique alerta

Os resultados de uma cirurgia plástica dependem de outras questões também, como a anatomia, fatores genéticos, saúde geral, da habilidade do cirurgião e, claro, da capacidade do paciente seguir as instruções médicas para obter um bom resultado.

 

Fique atento com anúncios de serviços que prometem resultados fantásticos sem problemas  ou tempo de recuperação. A cirurgia plástica, inclusive os procedimentos não invasivos, envolve riscos. Os procedimentos com uso de lasers, por exemplo, podem causar queimaduras ou mudar a pigmentação da pele permanentemente se não forem bem executados.

 

Lembre-se: busque sempre contar com um cirurgião plástico associado a SBCP e instalações credencias pela entidade para aumentar sua segurança!

 

Com informações do Smart Beauty Guide.

Crédito da foto: uomoelettrico via Compfight cc

Procedimentos complementares podem maximizar resultados do face lifting

Fez um face lifting e está feliz? Curtir o momento é importante, mas é preciso saber que este procedimento não é capaz de “parar o tempo”. Quem realiza esta cirurgia plástica não deve parar de se cuidar para manter os bons resultados e minimizar a ação do tempo.

 

Manter um estilo de vida saudável é o primeiro passo. Dieta balanceada, exercícios físicos regulares, beber bastante água, não fumar e usar protetor solar continua a ser fundamental para manter a pele saudável.

 

O site Smart Beauty Guide ressalta que certos tratamentos também podem complementar o face lifting e auxiliar nesta manutenção.

 

Lembre-se, sempre: antes de tomar qualquer decisão fale com seu cirurgião plástico antes. Apenas ele poderá recomendar com segurança qualquer procedimento!

 

595

 

Tratamentos antienvelhecimento são aliados importantes, assim como produtos para esfoliar a pele. Alguns deles podem até estimular a produção de novas células de pele ou colágeno, substância importante para a pele humana.

 

Procedimentos minimamente invasivos também ajudam a manter a pele com aparência rejuvenescida. Preenchimentos cutâneos, conhecidos como “facelifts líquidos”, e toxina botulínica são opções para minimizar a flacidez da pele.

 

Não tome nenhuma atitude sem orientação médica. Sempre consulte seu cirurgião para avaliar sua recuperação e discutir se realizar estes procedimentos são uma boa opção para o seu caso!

Com informações do Smart Beauty Guide.

8 mitos sobre queda de cabelo

Muitas pessoas têm dúvidas e gostariam de realizar um transplante capilar, mas os mitos que cercam este tema são muitos. Por isso o site RealSelf separou oito deles e iluminou o tema.

 

Se quiser saber mais sobre transplante capilar, clique aqui.

 

1)      Queda de cabelo para na meia idade.
Falso. Infelizmente o padrão para queda de cabelo em homens e mulheres é progressivo e persiste por toda a vida.

 

2)      Usar chapéu causa perda de cabelo.
Praticamente todos os casos de queda são causados por fatores genéticos e não pelo uso deste acessório. Ocasionalmente podem haver outros fatores médicos que afetam os folículos capilares por baixo da pele.

 

3)      Transplantes capilares parecem óbvios.
Com o advento da técnica de enxerto de unidades foliculares, que retira um pedaço de pele de um local doador (como a nuca, por exemplo) e a divide em unidades, é possível alcançar resultados que não se parecem com um transplante.

 

4)      Extração de unidade folicular é sempre a técnica mais indicada.
Este procedimento minimamente invasivo – que usa um instrumento para remover pequenos grupos de um a quatro fios – pode ser excelente para muitos homens e mulheres, mas não é necessariamente uma substituição para outras técnicas. Em alguns pacientes, esta técnica pode oferecer resultados inferiores a outras. A principal vantagem da extração de unidade folicular é que ela não deixa nenhuma cicatriz na área doadora, apesar do que ela só será visível se a cabeça estiver raspada.

 

574

 

5)      A melhor forma de fazer transplante capilar é usar dispositivos como o NeoGraft e o ARTAS.
Estes dispositivos podem ajudar o cirurgião a remover e transplantar folículos na técnica de extração de unidade folicular, mas eles não são a única forma de fazer isso: os folículos podem ser extraídos com outros dispositivos manuais. Além disso, nenhum aparelho é capaz de substituir uma linha capilar bem desenhada.

 

6)      Transplantes capilares são apenas para o couro cabeludo.
Pode ser difícil de acreditar, mas a área que mais cresce para cirurgiões que fazem restauração capilar é a barba, a sobrancelha e o peito.

 

7)      Lasers e medicações são inúteis no combate a queda de cabelo
Substâncias como a Propecia e o laser se mostraram bastante efetivas para tratar a queda de cabelo em homens e mulheres. Em geral elas não promovem o crescimento de fios, mas podem retardar e evitar a queda.

 

8)      Em cinco anos transplantes capilares estarão obsoletos.
Enquanto várias pesquisas com células estão sendo realizadas, como células-tronco e plasma rico em plaquetas, todas elas estão em estágio inicial. Até agora há pouca prova científica que atestem estes procedimentos.

 

Com informações do RealSelf.

Mamoplastia de aumento requer consultas de acompanhamento

O site Realself conversou com a cirurgiã plástica americana Melinda Haws para responder algumas dúvidas recorrentes de mulheres que realizam mamoplastias de aumento. Quanto tempo o implante dura? Eles podem estourar? Com qual freqüência é necessário visitar o cirurgião?

 

Veja o que a profissional tem a dizer sobre mamoplastias de aumento e a importância de fazer o acompanhamento com o cirurgião.

92

“Uma das questões que eu mais recebo quando vejo um paciente de mamoplastia de aumento pela primeira vez é: “Quanto tempo ele irá durar?”. A resposta direta é que, com os implantes disponíveis atualmente, não há prazo de expiração. É possível encontrar muita informação dizendo que é necessário trocar os implantes a cada 10 ou 15 anos, mas não há dados que indiquem que isso seja preciso para os modelos modernos. Eu uso frequentemente a seguinte frase: “se os implantes não incomodam você, não os incomode”.

 

Dito isso, há alguns implantes mais antigos que de fato tem uma taxa de ruptura maior e tem data de troca. Na maioria das vezes, no entanto, se o seu seio estiver macio e suave, sem nenhuma alteração na aparência e na sensação, não há razão médica para a troca.

 

Os dados mais recentes mostram que 25% das mulheres que passam pela mamoplastia de aumento irão fazer outro procedimento nos primeiros 10 anos após a cirurgia plástica. Isto inclui aumento ou diminuição da prótese, além da retirada dos implantes, lifting e também cirurgias para corrigir complicações como rupturas, hematomas e contraturas capsulares.

 

É importante lembrar que, como paciente de mamoplastia de aumento, a pessoa continuará a se preocupar com a aparência das mamas durante sua vida. Conforme o corpo se transforma, por conta da idade, gravidez, amamentação e variações de peso, as mamas também mudarão. Certamente quem realiza esta cirurgia plástica irá querer corrigir essas mudanças.

 

Eu gosto de pensar na mamoplastia de aumento como a entrada em uma “relação de manutenção” com o cirurgião plástico. Ela começa com a seleção dos implantes e continua por toda a vida. A primeira consulta serve para o cirurgião verificar a recuperação das mamas e garantir que elas terão o tamanho e o formato desejado.

 

Em geral, o período inicial de recuperação dura de três a seis meses. Nesta fase o cirurgião poderá confirmar que o inchaço foi resolvido e que a paciente está vendo o resultado final. Você pode pensar que é aí que a relação acaba, mas não é o caso. O cirurgião deverá pedir para ver a paciente um ano após o implante e, depois disso, todos os anos. Nem todos cumprem esses compromissos, mas o ponto é que o cirurgião plástico deseja manter esse relacionamento para, caso algo mude, ele seja o primeiro a saber.

 

Não dá para dizer quantas das minhas pacientes que realizaram mamoplastia de aumento retornaram por conta de algum caroço identificado em exames de raio-x, por exemplo, apenas para descobrir que o “problema” é apenas a ponta ou a válvula do implante. Se houver algum problema que considere não ser o implante, o cirurgião plástico pode aconselhar a melhor forma para avaliar a situação. Além disso, ter esta relação com o cirurgião plástico permite que ele mantenha o paciente informado sobre possíveis alterações e expectativas de longo termo sobre o implante.

 

Implantes de próteses de silicone exigem consultas de manutenção com o cirurgião plástico pelo menos uma vez por ano para avaliação a integridade da prótese e do resultado da cirurgia plástica. Se o paciente decidir não fazer a consulta anual, o ideal então é que a faça a cada três ou cinco anos – ou então quando o paciente notar alguma mudança.

 

Mesmo que não exista uma data de validade para os implantes modernos, isso não significa que eles duram necessariamente a vida inteira. O cirurgião plástico pode ajudar a paciente a manter as mamas da melhor maneira possível no decorrer do tempo.”

 

Com informações do RealSelf

 

Back to Top