segurança do paciente

afiliacao_profissional

afiliação profissional

Além da certificação de médico, procure as afiliações do cirurgião que vai escolher. A categoria de membro da SBCP insere o cirurgião dentro da elite da cirurgia plástica.

A SBCP promove educação continuada focada em cuidados aos pacientes e a procura pela segurança destes. A sociedade também oferece aos pacientes a possibilidade de conhecer os únicos profissionais qualificados a realizar a sua cirurgia plástica.

A escolha de um cirurgião qualificado é um primeiro passo na segurança de que a cirurgia pode satisfazer as suas expectativas.

Aspirante a Membro

Modalidade inicial para o médico que decide participar desta ilustre sociedade com mais de 60 anos de tradição.
• Médicos, Residentes ou Pós-graduandos admitidos em Serviço Credenciado da SBCP.

Membro Associado

Para o concludente da residência e pós graduação, já aspirante a membro e que provaram seu conhecimento através de exame aplicado pela SPCP

• Aspirante a membro, que forem aprovados em exame para obtenção do Título de Especialista da SBCP/AMB, com qualificação e registro no Conselho Regional de Medicina.
• Os médicos com residência em cirurgia plástica que exerçam a especialidade, tenham registro em Cirurgia Plástica no CRM e queiram ingressar na SBCP Devem ser aprovados no Exame para obtenção de titulo.

Titular

Um grau mais elevado dentro da SBCP, onde já se tem certa experiência dentro da classe.

• Ser um Associado com pelo menos com 2 (dois) anos de aprovação no exame da SBCP, com permanência na categoria.
• Obter aprovação em trabalho científico ou equivalente, em exame específico, formulado e aplicado pela SBCP.

Membro Correspondente

Categoria para estrangeiros que desejam pertencer a SBCP.

• Profissionais de ilibada reputação, residentes no exterior, admitidos pelo Conselho Deliberativo da SBCP.
• Mediante proposta apresentada pelos membros da Diretoria Nacional, ou ainda, por 05 (cinco) Membros Titulares.
• O candidato a Membro Correspondente deverá, ainda, comprovar, através de documentação fornecida por entidade médica oficial do local onde exerce suas atividades, sua postura ético-profissional, bem como apresentar trabalho científico durante o Congresso Nacional, segundo as normas editadas pelo Departamento de Eventos Científicos (DEC).